domingo, 31 de Agosto de 2014

CAMPEONATO PORTUGUÊS: BENFICA X SPORTING JOGAM ESTA TARDE (18 horas de bissau)

OS TRABALHADORES DA CMB VÃO PARA A GREVE NOS DIAS 1, 2 E 3 DE SETEMBRO MOBILIZADOS PELO SINDICATO DE BASE DA CÂMARA MUCIPAL DE BISSAU.

O Sindicato de Base exige o pagamento de 3 meses de salários em atraso pela direção da edilidade camarária e melhoria de condições de trabalho.

O Serviço mínimo está sendo negociado com o patronato.

A verdade é que, uma greve na CMB nesta altura com ameaça do Vírus do Ébola é preocupante e ainda mais com a ausência do seu Presidente, António Artur Sanhá que está em missão de trabalho no estrangeiro (CHINA).

SETEMBRO VITORIOSO: RÁDIODIFUSÃO NACIONAL (RDN) ASSINALA 40 ANOS DA SUA CRIAÇÃO NO PRÓXIMO DIA 10 DE SETEMBRO.

A Comissão Organizadora leva a cabo nos dias 2 e 3 de Setembro um Workshop para refletir sobre o percurso da Radiodifusão Nacional, desde a sua criação até hoje e perspectivas para o futuro.

Encontro que terá lugar no salão de reuniões da UNTG e a cerimônia de abertura vai ser presidida pelo Ministro da Comunicação Social, Agnelo Regala.

Quatro temas importantes vão ser debatidos durante os dois dias de Workshop:

-- Tributos da Emissora Portuguesa da Guiné e a Rádio Libertação à Radiodifusão Nacional;

-- RDN na fase de Transição Política (1991-2000);

-- RDN face às Novas Tecnologias de Informação e,

-- Que RDN para o futuro?

sábado, 30 de Agosto de 2014

PROCESSO SELETIVO UNILAB/BRASIL



http://www.unilab.edu.br/noticias/2014/08/27/unilab-abre-processo-seletivo-para-estudantes-estrangeiros-3/

CAMPANHA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO MANCHADA DE LUTO EM BISSAU

Uma criança de 9 anos de idade que efetuava os trabalhos de limpeza na zona do Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira foi esta manhã atropelada por uma viatura e morreu no local.


UNICEF E REDE DAS ASSOCIAÇÕES JUVENIS ALIAM-SE NA PROMOÇÃO DE HIGIENE E LIMPEZA EM BISSAU

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Rede das Associações Juvenis (RAJ) selaram hoje uma parceria visando a promoção de Boas Práticas de Higiene para a prevenção da Cólera e Ébola em 10 bairros e 14 mercados da capital/Bissau, beneficiando cerca de 5 mil famílias.

A iniciativa conta com colaboração da Câmara Municipal de Bissau e das Associações de Vendedores e Retalhistas dos mercados de Antula, Bandim, Caracol, Mercado Central, Quelele, Plack, Cabaceira, Pandjam, Pefine, Santa-Luzia, Cuntum, Bairro-Militar, Cundok e São-Paulo.

LUTA CONTRA A CÓLERA E ÉBOLA: AS AUTORIDADES GUINEENSES DERAM HOJE PONTA-PÉ DE SAÍDA A UMA SÉRIE DE CAMPANHA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO A NÍVEL NACIONAL COM VISTA A REDUZIR OS RISCOS DE INFECÇÃO E TRANSMISSÃO DO VÍRUS DO ÉBOLA E DE CÓLERA NO PAÍS.

Campanha lançada hoje em Bissau, pelo Presidente da República, José Mário Vaz, vai decorrer duas vezes por mês (primeiro e último sábado) e simultaneamente em todas as Regiões, Setores, Vilas e tabancas do país.

Presidente da Assembleia Nacional Popular, Primeiro-ministro, Presidente do Supremo Tribunal de Justiça e membros do governo, estão todos mobilizados para esta campanha Nacional de Limpeza e Desinfecção.

quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

LUTA CONTRA O VÍRUS DO ÉBOLA: GOVERNO LANÇA CAMPANHA NACIONAL DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO PARA O DIA 30 DE AGOSTO, ESTE SÁBADO.

Uma campanha que decorrerá simultaneamente em todo o território nacional das 07H00 as 17H00 do dia 30 de Agosto corrente e, contará com a participação do Presidente da República, Primeiro-Ministro, membros do governo e deputados da nação.

Para reforçar esta iniciativa, ontem o Secretário de Estado do Ordenamento e Administração do Território reuniu-se em Bissau com os governadores regionais.

a iniciativa visa mobilizar todas as sensibilidades de uma forma conjunta a participarem na campanha de prevenção contra o Vírus do Ébola que está a abalar países da nossa costa africana, como é o caso da Guiné-Conakry, Serra-Leoa, Libéria, Nigéria e agora transpondo fronteiras, já atingiu a República Democrática do Congo.

Esta terça-feira, dia 26, nove cidadãos da Guiné-Conakry que chegaram a cidade de Gabú leste do país,  foram colocados em quarentena onde permanecerão durante 21 dias, período da encubação da doença. Medida nada mais que preventiva e, é assim mesmo que deve ser. FORÇA IRMÃOS, SÓ ASSIM PODEMOS EVITAR MAL MAIOR!!!!!

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

PATCHE DI RIMA ON SIKO MUSIC EUROPE TOUR

SIKO MUSIC TOUR IN EUROPE 

HAMBURG CITY DIA 30 DE AGOSTO KETEKE CLUB
LISBOA CITY DIA 31 DE AGOSTO  BELIMA CLUB
LONDON CITY DIA 6 DE SETEMBRO SWAAGA CLUB
PORTADOWN CITY DIA 20 DE SETEMBRO STREET CONCERT
PITERBOURG CITY DIA 27 DE SETEMBRO

CONTACTOS PARA SHOW 0033646166012/ 00351927821449

FUGA AO BLOQUEIO: UM CIDADÃO DA GUINÉ-CONACRY TERÁ CONSEGUIDO ESCAPAR AO BLOQUEIO IMPOSTO NAS FRONTEIRAS COM ESTE PAÍS VIZINHO. O CIDADÃO EM CAUSA CHEGOU À BISSAU ESTE SÁBADO E ESTÁ A MORAR NO BAIRRO DE RENO. A DENÚNCIA JUNTO AS AUTORIDADES DO PAÍS FOI DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DESTE BAIRRO DA CAPITAL GUINEENSE.

Em caso de emergência pode ligar de qualquer ponto do país e sem pagar nada as seguintes instituições, através dos seguintes números de telefone já disponíveis:

HOSPITAL NACIONAL SIMÃO MENDES:

-- 1919 (PARA NÚMEROS MTN)
-- 2020 (PARA NÚMEROS ORANGE)

BOMBEIROS HUMANITÁRIOS DE BISSAU

-- 1212 (PARA NÚMEROS MTN)
-- 1313 (PARA NÚMEROS ORANGE)

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA

1414 (PARA NÚMEROS MTN)
1515 (PARA NÚMEROS ORANGE)

O NOVO REPRESENTANTE DAS N.U. NO PAÍS, O EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE SÃO-TOMÉ E PRINCIPE FOI RECEBIDO ESTA MANHÃ PELO PRESIDENTE DA ANP, CIPRIANO CASSAMÁ. MIGUEL TROVOADA JÁ TINHA ENCONTRADO COM O PRESIDENTE DA REPÚBLICA NA SEMANA PASSADA.

REVIRAVOLTA: A ASSOCIAÇÃO DE PESCADORES DE BIOMBO SAIU EM DEFESA DO EX-MINISTRO DAS PESCAS E ATUAL TITULAR DA PASTA DOS NEGOCIOS ESTRANGEIROS - MÁRIO LOPES DA ROSA SOBRE O ALEGADO CASO DE DESVIO DE GERADOR E DUAS UNIDADES DE FABRICO DE GELO.

A reação surgiu no final da semana finda através de uma carta dirigida ao Ministro da Administração Interna, Botche Candé, onde a organização em causa inocenta claramente Mário Lopes da Rosa de qualquer ato que possa substanciar-se em desvio de coisas públicas. 

De acordo com a carta, foram os próprios membros da Associação que pediram o ex-Ministro das Pescas para guardar os equipamentos em causa. porque eles não tinham espaço em segurança para tal.

Situação que poderá levar a uma reviravolta do caso, já que, na conferência de imprensa convocada pelo Porta-voz do Ministério da Administração Interna, tudo levava a crer que se trata-se de mais um caso de desvio de coisas públicas por um membro do governo.

Samuel Fernandes teria mesmo sublinhado que este caso envergonha mais uma vez o país.

Na carta, a organização de pescadores de Biombo pediu uma audiência com o Ministro Botché Candé para explicar o que teria na verdade acontecido.

domingo, 24 de Agosto de 2014

PATCHE DI RIMA AO VIVO EM HAMBURGO 30 DE AGOSTO

NÃO PERCA!!!

GUINÉ-BISSAU O QUARTO MAIOR PRODUTOR MUNDIAL DE CAJÚ

VEJA AQUI

ABERTURA DE EMPRESA

Boa tarde, Gostaria de saber se possivel, como começar uma actividade empresarial em bissau.Ou onde se pode consultar essas informaçoes.

Relativamente a Custos de abertura do espaço, papelada necessária, impostos etc...

A area de intervençao seria a de consultoria informatica

Com os melhores Cumprimentos

Tchokanet

geral@tchokanet.com

domingo, 17 de Agosto de 2014

NALOAN COUTINHO SAMPA: NATURAL DA GUINE-BISSAU, CONSIDERADO O MELHOR ALUNO (Udesc Joinville) PELA SÉTIMA VEZ "NO BRASIL"

Estudante recebeu o Certificado de Mérito Acadêmico, do Ministério das Relações Exteriores, que premia estrangeiros que se destacam.


O estudante, Naloan Coutinho Sampa, 24 anos, do campus da Udesc em Joinville, recebeu pela sétima vez, o Certificado de Mérito Acadêmico, do Ministério das Relações Exteriores. O aluno apresentou as melhores notas do País entre os integrantes do Programa de Estudantes Convênio de Graduação (PEC-G) do governo federal.

Natural da República de Guiné-Bissau, na costa ocidental da África, Naloan estuda em Joinville desde 2008 e deve concluir os estudos ainda neste ano.

Além do excelente rendimento em sala de aula, o aluno da décima fase do curso de engenharia civil já atuou como voluntário no projeto de extensão de coleta seletiva e desde o segundo semestre de 2010 participa como bolsista de pesquisa do CNPq, na área de materiais. 

— Naloan é um exemplo a ser seguido, pelas dificuldades encontradas e pela perseverança em atingir os seus objetivos —, afirma a professora-chefe do departamento de engenharia civil, Sandra Denise Kruger Alves.

Filho de professora, Naloan tem mais 12 irmãos. Tímido, admite ter enfrentado dificuldades para se adaptar ao Brasil, mas aos poucos conquistou a admiração dos professores e companheiros de classe. 

— Fiz muitos amigos aqui e hoje me sinto em casa —, conta Naloan.

A Bolsa Mérito do Ministério das Relações Exteriores repassa auxílio financeiro no valor de R$ 622 por seis meses para os alunos do PEC-G. Além de Naloan, há outros cinco alunos estrangeiros estudando na Udesc Joinville, vindos do ParaguaiBolívia e Angola. Estes estudantes não concorrem com os candidatos ao vestibular, são selecionados pelo Ministério da Educação (MEC) e amparados pela norma que concede uma parcela de vagas aos estudantes de outros países conveniados.
 
 

sábado, 16 de Agosto de 2014

OPINIÃO: RECADOS FORTES DO DR. ABDUL CARIMO BALDÉ: "OS MONSTROS DA ÁFRICA"

Investigador 
Licenciado em Sociologia, com graduações em Sociologia Geral; Comunicação, Arte e Cultura; Desenvolvimento e Políticas Sociais; em fase de preparação para o Doutoramento em Estudos Africanos pelo Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto. 


O que fazer? Como fazer? Para que a África possa seguramente construir o seu desenvolvimento social e económico? 
Dois mil e dez, foi o ano comemorativo do cinquentenário da independência de muitos países da África Subsaariana. Tanto no continente africano como nas antigas metrópoles, como França e Bélgica, o clima geral foi de festas, lamentações e reflexões. 

Aproveitou-se para fazer um balanço crítico, não apenas para os dezassete países da África que obtiveram a sua independência em 1960, mas também para refletir sobre o quadro geral dos países africanos no que diz respeito aos objetivos do milénio para o desenvolvimento. Esses objetivos consistem em erradicar a miséria e a pobreza no continente, construir uma cultura de paz e fortalecer o processo democrático. Desenvolvimento, palavra-chave em torno da qual gravitam todas as questões, está no centro de todos os discursos e debates nos media. 

A primeira grande questão que todos colocam é: por que é que a África, em comparação com países da Ásia e da América do Sul, não tão distantes dela nos anos 1960 em termos de desenvolvimento (todos eram considerados países subdesenvolvidos), não conseguiu globalmente e de forma significativa levantar voo rumo ao desenvolvimento, apesar de suas imensas riquezas naturais e minerais e grande diversidade humana e cultural? 

A segunda questão, consequência da primeira, é: o que fazer? Como fazer? Para que a África possa seguramente construir o seu desenvolvimento social e económico? 

A resposta às duas questões tem em consideração a análise dos fatores do desenvolvimento e das dificuldades que o bloqueiam. Entre estas, relaciona-se notadamente os legados do tráfico de negros, da escravatura e da colonização; as dificuldades para a construção da democracia e da nacionalidade; os conflitos etnicopolíticos ou as guerras civis e sua violência; a má governação; a ausência de uma educação que liberta culturalmente, com enfoque nas necessidades e realidades africanas; a violação dos direitos humanos, a começar pelo direito à 

vida; a falta de investimentos em ciência e tecnologia, com aplicação na agricultura e na indústria de manufaturados; a falta de investimentos na saúde pública, começando pela produção de alimentos; a falta de instalações sanitárias e de água potável; a pandemia de SIDA, o paludismo, o Ébola e outras doenças curáveis que matam mais na África que em outros países desenvolvidos, por falta de infra-estrutura médica mínima; sem esquecer os neocolonialismos que persistem na figura dos organismos internacionais e multilaterais como o Banco Mundial, FMI, OMC, G8 etc. Diz-se, com certo exagero, que no Comboio em direção ao desenvolvimento, os africanos aparecem, geralmente, como simples viajantes, em vez de pilotos ou co-pilotos dos seus próprios destinos. 

A imagem afropessimista apresentada pela imprensa internacional visa, quase sempre, a África Subsaariana, mas os últimos acontecimentos sociopolíticos nos países da África do Norte, em especial nos três países do Magreb (Egito, Tunísia e Líbia), mostram que todo o continente africano vai mal em termos de construção dos regimes democráticos e, consequentemente, do seu desenvolvimento socioeconómico. Isso não quer dizer que faltam exemplos de crescimento económico significativo, apesar dos casos de regressão socioeconómica observada em outros países africanos depois da independência, exemplo da atual República Democrática do Congo. Mas, de modo geral, mesmo nos países que acusam taxas de crescimento económico positivamente surpreendentes, como a África do Sul (4% em 2005), Angola (23% em 2007), Moçambique (8% entre 2000 e 2006), ainda se observa: degradação da situação social (miséria, desemprego, mortalidade, HIV), aumento das desigualdades económicas entre as classes sociais e degradação e insuficiência das instalações sanitárias, de habitação e dos sistema de saúde, de transporte público e dos meios de comunicação em geral. 

Nos últimos catorze anos, isto é, do ano 2000 para cá, muitos tem sito escritores, jornalistas e estadistas em todo o mundo que vem oferecendo a seus leitores/ouvintes/espetadores, através de diversos artigos nos jornais, revistas cientificas da especialidade ou não, debates televisivos e radiofónicos, e criticamente, a gama de questões que emperram o processo de desenvolvimento no continente e os desafios para enfrentá-las. A leitura e releitura desses textos ajudarão também a entender e interpretar melhor os acontecimentos atuais que ameaçam os regimes políticos ditatoriais em vigência nos países do Magreb, todos caracterizados por falta de democracia e negação dos direitos humanos. Os textos e vídeos analisam com ênfase a situação dos países da África Subsaariana que, desde sua independência em 1960, não conseguem, em sua maioria, constituir-se como Estado e como Nação, por causa de conflitos étnicos e regionais, ou dirigentes ditatoriais que engendram golpes militares para levar outros grupos ao poder. 

As tentativas de eleições democráticas, desde 1990, são sempre acompanhadas de contestação e acusação de fraude, como aconteceu em Zimbábue, Guiné-Bissau, Quénia, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Guiné Conacri etc... Quando não reeleitos, dirigentes são, às vezes, substituídos por seus filhos (Togo, Gabão, República Democrática do Congo, entre outros), disfarçando o princípio básico da regra democrática que exige alternância no poder, que quando acontece, em raras exceções, é simples passagem do poder para as mãos da oposição, sem implicar necessariamente um novo projeto de transformação da sociedade. Além de deteriorar os ambientes eleitorais, os textos constitucionais fundamentais são manipulados ou mudados em função dos interesses dos que estão no poder, provocando certa identificação entre estes últimos e o Estado nacional. Má governação, corrupção, desvio de fundos públicos, nepotismo étnico e ganância são, entre outras, características dos poderes dos dirigentes africanos que deterioram os termos de uma gestão democrática. 

Onde está a riqueza dos textos e vídeos que têm sido publicados pelo mundo em diversos formatos, coloca à apreciação de seus leitores e espetadores? Além dos textos e videos de conteúdo sintético com análises históricas e estruturalistas que ajudam a entender os problemas comuns à África, os documentos apresentam textos e videos contextualizados no tempo e no espaço, com base nas experiências particulares de alguns países, para evitar generalizações abusivas capazes de mutilar a riqueza da diversidade continental. A África toda não é a mesma coisa, mas tem muitas semelhanças e experiências comuns que os textos fezem bem em ressaltar e respeitar. O leitor/ouvinte/teleespetador vai certamente, no decorrer dos vários artigos relacionados que existem, se deparar com a experiência de países que não lhe são totalmente estranhos, tais como África do SulAngolaBeninBurquina Faso,BurundiChadeCosta do MarfimGabãoGanaGuiné-Bissau, Guiné ConacriGuiné Equatorial,MaliMadagascar, Marrocos, Mauritânia, Moçambique, Níger, Nigéria, Quênia, República Democrática do Congo, Ruanda, Senegal, Sudão, Tunísia, Uganda, Zâmbia e Zimbábue. 

Como já foi dito anteriormente, certo número de artigos de carácter geral sintetizam aspectos e questões comuns a toda a África, tais como Educação, Saúde, Desenvolvimento, Violência, Geopolítica, Meio Ambiente, Comércio e Política Internacional, entre outros. Somadas, as duas abordagens, a generalista e a nominalista, ajudam os interessados no assunto a entender os desafios comuns de todo o continente para o milénio, por um lado, e as particularidades de alguns países analisados sob o prisma de algumas questões, por outro lado. 

De grosso modo, os problemas comuns à África são organizados em torno de três blocos que se articulam para caracterizar os desafios de toda a África em matéria de desenvolvimento. Que são: 1) Democracia, guerras civis, governação, violência e direitos humanos; 2) Saúde e medicina; 3) Desenvolvimento, ao qual se vinculam temas e questões que compõem outros itens. Sem esgotar a análise dos fatores e fatos que compõem a complexidade dos desafios da África, os documentos que podemos ter a oportunidade de ler, ver e ouvir nos media sobre os desafios que o continente enfrenta oferece ao leitor/ouvinte/espetador que não tem familiaridade com o continente algumas balizas que ajudam a sair do lugar-comum e a evitar análises preconceituosas que naturalizam a explicação de conteúdos históricos, ideológicos, políticos e sociais. 

Por: Abdul Carimo Baldé

quinta-feira, 14 de Agosto de 2014

BRASIL - ACIDENTE FATIDICO MATA CANDIDATO DOS SOCIALISTAS AS PRESIDENCIAIS DE OUTUBRO PRÓXIMO






Não há sobreviventes da queda, em Santos, no estado de São Paulo, da aeronave que transportava Eduardo Campos, candidato do Partido Socialista Brasileiro às presidenciais agendadas para o dia 5 outubro.

Morreram os cinco passageiros e dois tripulantes do Cessna 560XL que se despenhou numa zona residencial da cidade do litoral paulista.

Os principais adversários do antigo governador de Pernambuco – a Presidente Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) – suspenderam todos os compromissos da campanha mal souberam do trágico acidente que vitimou Campos.

O candidato dos socialistas brasileiros seguia em terceiro nas sondagens, com cerca de 9% das intenções de voto.

O PSB irá agora designar outro candidato. Marina Silva, que concorria à vice-presidência e que devia ter seguido no voo fatídico, é a melhor colocada para assumir as rédeas da campanha presidencial dos socialistas brasileiros.